Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 27 de março de 2012

Lançamento do Catálogo on-line do Acervo Documental do Grupo LGBT Ipê Rosa, de Goiânia















































Lançamento do Catálogo on-line do Acervo Documental do Grupo LGBT Ipê Rosa, de Goiânia

Fonte: Cidarq

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Ser-Tão divulga, nesta quarta (19) principais resultados da pesquisa Movimentos sociais,direitos humanos e cidadania: um estudo sobre o movimento LGBT em Goiás.





Queremos convidá-la/o para o evento de divulgação dos principais resultados da pesquisa Movimentos sociais,direitos humanos e cidadania: um estudo sobre o movimento LGBT em Goiás, realizada pelo Ser-Tão, Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidade, da UFG.

Esta pesquisa integra projeto de investigação mais amplo, intituladoMemória da luta em direitos humanos em Goiás, coordenado pelo Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em Direitos Humanos da UFG e realizado no âmbito da Rede Camdombah – Rede Goiana de Pesquisa em Diversidade, Direitos Humanos e Cidadania. Este projeto de investigação foi apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg) e também abriga pesquisa com foco em direitos humanos e questão ambiental em Goiás, cujos resultados serão igualmente apresentados na mesma ocasião.

O evento ocorrerá no dia 19 de outubro de 2011, no Salão Nobre da Faculdade de Direito, da UFG (Praça Universitária).

Num primeiro momento, teremos uma mesa-redonda sobre direitos humanos e questão ambiental e direitos humanos e questão LGBT, com a participação de duas/dois expositoras/es convidadas/os e, em seguida, outra mesa-redonda com a apresentação dos resultados das pesquisas propriamente ditos.

17 h - Mesa-redonda: Direitos humanos em perspectiva: socioambientalismo e questão LGBT
Henyo Trindade Barretto Filho. Doutor em Ciências Sociais (Antropologia Social) pela Universidade de São Paulo. É Diretor Acadêmico do Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB).Jaqueline Gomes de Jesus. Doutora em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações, pela Universidade de Brasília. É Psicóloga do Trabalho e Organizacional na mesma instituição.

Expostioras/es:
19 h - Mesa redonda com apresentação dos resultados das pesquisas que integram o projeto "Memória da luta em direitos humanos em Goiás".

Você é muito bem-vinda/o.

Quinta, dia 20 comeca a 2a Conferencia Estadual LGBTT de Goiás


2ª Conferência Estadual LGBT


DIA 20/10 (QUINTA):
Auditório Assembleia Legislativa

17h - Recepção aos(às) participantes e início do credenciamento
19h – Abertura Solene (Auditório Assembleia Legislativa )
19h20min - Apresentação Artístico Cultural
21h – PALESTRA: Avanços e perspectivas pela cidadania LGBT no Brasil.


DIA 21/10 (SEXTA):
Centro de Referência da Igualdade.
Endereço: Avenida Goiás, nº 1496 Fone: (62)3201-7489
8h- Café da manhã e encerramento do credenciamento – encerramento às 14 horas
9h- Plenária para Aprovação do Regimento Interno

10h – MESA I: Experiências Municipais e Estaduais de Políticas Públicas para LGBT

11h30 às 12h30 – MESA II: Enfrentamento a Homofobia no âmbito do Poder Legislativo

14h – Mesa Redonda – Avaliação das Políticas Públicas LGBT em Goiás

16h - Grupos de discussões temáticos:
- Saúde;
- Educação e Comunicação;
- Segurança Pública, Justiça e Direitos Humanos
- Assistência Social, Cidadania e Trabalho
- Cultura, Esporte, Lazer, Meio Ambiente e Turismo;
- Legislação

18h30- Reunião dos(as) relatores(as) dos Grupos Temáticos com a Comissão de Sistematização

DIA 22/10 (sábado):
8h - Café da manhã
Plenária Final:
• Apresentação dos relatórios dos Grupos Temáticos
• Moções
• Eleição dos(as) delegados(as) para a Conferência Nacional
• (Art. 35. A Conferência Nacional será composta por 40% de delegadas e delegados do Poder Público e 60% de delegadas e delegados da sociedade civil)



12h30 – Almoço Cultural


Outras informações: Semira: 3201-5349
http://www.semira.go.gov.br/

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

1ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL LIVRE LGBTT DE GOIÂNIA

Convidamos a tod@s a participarem da 1ª Conferência Municipal Livre LGBTT de Goiânia, onde discutiremos e construiremos estratégias para politicas públicas de enfrentamento da Homofobia na Cidade de Goiânia e Goiás. Estratégias de luta contra a violação dos Direitos Humanos preconceito, discriminação às Lébicas, Gueis, Bissexuais, Travestis, e Transexuais.


Dia: 08/10/2011 - Das 14h ás 18h
Local: Auditorio do DCE da PUC-GO
Rua 240 Sem nº St. Universitario em frente ao COLÚ

-- 
Marco Aurelio de Oliveira
(62) 9924-8831
http://iperosa15anos.blogspot.com/
http://oxumarexhomofobia.blogspot.com/

domingo, 6 de junho de 2010

Parceria firmada entre UFG e Ipê Rosa - LGBT's

Por Illa Rachel (Ascom/UFG)



O Centro de Informação e Documentação Arquivística (Cidarq) da UFG assinou ontem (01/06) um termo de depósito com a organização não governamental Ipê Rosa. A ONG é a primeira organização do estado de Goiás voltada para a defesa dos direitos do público LGBT – lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros. A iniciativa de recuperar o acervo histórico foi do núcleo de estudos e pesquisas em gênero e sexualidade Ser-Tão, núcleo vinculado ao Programa de Direitos Humanos da UFG.

Segundo a diretora do Cidarq, Heloísa Esser dos Reis, cabe ao Centro de Informação e Documentação Arquivística higienizar, condicionar, classificar e disponibilizar os documentos da ONG para consulta. A catalogação e divulgação do material será feita por meio de um software desenvolvido pelo Conselho Internacional de Arquivos e estará disponível no site do próprio Cidarq. Todo o trabalho vai ser acompanhado por integrantes do Ser-Tão, já que a atividade faz parte de um dos projetos desse núcleo de estudo.

O diretor da Faculdade de Ciências Sociais e coordenador do Ser-Tão, Luiz Melo de Almeida Neto, acredita que o acordo firmado pode ser o primeiro passo para que sejam tomadas outras iniciativas para tornar público o acervo histórico de outros movimentos sociais. Para o professor, esse trabalho relacionado com os documentos da ONG Ipê Rosa sensibiliza a comunidade para a luta de um grupo oprimido e por isso é tão importante.

Marcelo Perilo, mestrando em Antropologia pela UFG e um dos integrantes do Ser-Tão, explicou que o trabalho envolvendo a documentação do Ipê Rosa começou no segundo semestre de 2009, quando membros do núcleo de pesquisa se encontraram com os integrantes da ONG para a discussão das questões. Juntamente com a equipe do Cidarq, a equipe do Ser-Tão dividiu o trabalho em etapas, que começou com a avaliação do conteúdo dos documentos e vai finalizar com a divulgação do material.

O Plano de Trabalho - organização, sistematização e descrição do acervo das ONG's Ipê Rosa e Oxumaré - foi assinado pela diretora do Cidarq, Heloísa Esser dos Reis, pelo coordenador do Ser-Tão, Luiz Melo de Almeida Neto, e pelo coordenador da ONG Ipê Rosa, Marco Aurélio de Oliveira. De acordo com Heloísa Reis, o prazo estimado para a entrega dos resultados é de três meses, mas pode ser estendido por mais tempo.